Aprendizes do Jockey visitam o Haras Vendaval

 

Na última terça - feira, dia 30 de Setembro, os alunos da Escola de Preparação para Jóqueis do Jockey Club de São Paulo pegaram a estrada em direção à Boituva, no interior de São Paulo, para conhecer oCentro de Doma do Haras Vendaval, um dos maiores e mais conceituados do País. Na realidade, o proprietário do Haras, Jayme de Castro Barbosa, que esteve presente durante toda a visita, diz que prefere que o espaço seja chamado de "Centro de Iniciação de Potros", pois, de acordo com ele, ali é o "local onde os animais começam o aprendizado para se transformarem em atletas". A visita ao Haras Vendaval fez parte do novo projeto para a Escola de Preparação para jóqueis, que visa entregar um conteúdo multidisciplinar e voltado para o desenvolvimento humano dos alunos. "Presenciar as diversas etapas da evolução dos animais é importante para que os Aprendizes vejam a quantidade de suor que é necessária para movimentar a cadeia do Turfe", afirma Luis Alberto Marinho, Superintendente de Turfe do JCSP, que também acompanhou a visita. "Em breve visitaremos outro Haras para que eles possam presenciar o nascimento e o manejo dos recém nascidos. Isso será muito importante para o amadurecimento dos garotos, pois eles poderão identificar toda a responsabilidade dos envolvidos no processo desde o início, culminando com o desempenho nas corridas, onde esses jovens têm papel fundamental", complementa. No Haras Vendaval, os aprendizes puderam presenciar diversas etapas do processo de iniciação dos animais, além de receberem instruções sobre o adequado manejo dos potros e dicas importantes sobre o adequado uso de equipamentos e de postura sobre o cavalo. A aprendiz Agatha Conceição, uma das mais recentes alunas acolhidas pela "Escolinha", ficou encantada com a oportunidade, "Foi ótimo estar aqui. Com certeza esse foi o passeio mais especial até agora, pois foi algo ligado aos cavalos, que são a nossa paixão". Sobre o Haras Vendaval O Haras Vendaval é um centro de criação tradicional do Estado de São Paulo, sendo que sua primeira geração de potros nasceu em 1975. Há 15 anos, o Haras passou a funcionar como Centro de Doma, recebendo anualmente potros de diversos Haras e proprietários. Hoje, o Centro possui 25 funcionários e trabalha com uma média de 100 animais em processo de iniciação. Para Jayme de Castro Barbosa, o Centro tem uma característica fundamental: "aqui respeitamos o tempo de cada animal. São como os seres humanos, alguns aprendem mais rápido e outros demoram mais tempo, porém isso não quer dizer que esse animal é melhor do que o outro. Respeitar o tempo dos animais é essencial para conseguir bons resultados". Como se verifica, os bons resultados são uma constante para o Haras (cujas paredes da sede estão forradas por mantas de animais vitoriosos). "Nesses 15 anos, já saíram daqui 60 ganhadores de Grupo I, o que é um número bastante significativo. Muito mais significativo para mim, no entanto, é que mais de 95% dos animais iniciados aqui chegam efetivamente a correr, pois a minha meta é que o cavalo corra", afirma Jayme.